Conversa Divina.

E por ser final de semana é dia de jogar conversa fora. Tinha um programa antigo na TV Bandeirante, comandado pela Marília Gabriela, em que ela entrevistava ao mesmo tempo duas pessoas completamente diferentes em modo, comportamento e cultura. 

Lembro em que um destes programas os entrevistados foram o Plinio Marcos, conhecido teatrólogo, escritor, ator, do tipo marginal; e o Francisco Petrônio,  cantor romântico, sempre bem vestido, voz macia e exageradamente educado.

E lá pelas tantas a entrevistadora perguntou para o Plinio Marcos:
- Você é casado?
- Amontoado aos montes...
- Tem filhos?
- Seis que eu sei e fora os outros que nem conheço.
- E mulheres?
- Varias, perdi a conta!
- E você, Petrônio?
- Tenho dois filhos, um é médico e o outro estuda engenharia.
- Está casado?
- Sim, há quarenta e oito anos...
- O quê? - gritou o teatrólogo. Quarenta e oito anos casado com a mesma mulher?
- Sim - respondeu Petrônio.
- Tarado! Petrônio, você só pode ser tarado!

E com humor a entrevista entre os “antagônicos” prosseguiu para o deleite dos espectadores. 
E por que me lembrei disto? Porque li num jornal paulista que o Amorim, aquele que foi Ministro das Relações Exteriores do Brasil, entregou ao Papa, no Vaticano, um bilhete do Lula  com um livro contando a trajetória de vida do Jararaca. E sabe o que o Francisco fez? Ele abençoou o Lula dizendo que ele deveria continuar defendendo os pobres.

Claro que logo imaginei o Papa e o Lula sendo entrevistado ao mesmo tempo, no mesmo antigo programa da Marília Gabriela:
- Lula, você acredita em Deus?
- Companheira Marília, você conhece algum comunista ou socialista que acredita? Diga um!
- E o Senhor eminência?
- Alguma duvida? Eu o represento na terra!
- Ah! Não diga isto que me dói o dente como pode? - interpelou o Petista.
- Porque sou o chefe da Santa e  amada Igreja de Pedro.
- Tá, tudo bem “seo” Papa, o Boff quando me visitou na prisão disse-me para não contrariá-lo. 
- Você tem filhos, Lula?
- Tenho, e todos são ricos! Podres de rico, graças às suas competências profissionais. 
- E o Senhor, eminência?
- Tenho filhos, também, pois sou pai de todos os pobres e necessitados do mundo! 
- Putz, “seo” Papa, e o senhor não fez ainda nenhuma mutreta no Vaticano para enriquecer os coitados? 
- Só se acontecer um milagre...
- Já tentou negociar com a Odebrechet, Petrobras ou com o governo do Rio deJaneiro?
- Claro que não, é pecado mortal!
- É, mas é um pecado sacrossanto, por ser para uma causa nobre.
- Nem pensar...
- Luiz Ignácio, você bebe?- perguntou a moçoila. 
- Bebia, não bebo mais. A prisão me curou do vício...
- E o Senhor eminência?
- Só de vez enquanto nas missas...
- E mulher? Você é casado Lula?
- Viúvo. 
- E o Senhor?
- Claro que não, sua louca! Tenho voto de castidade desde a adolescência...
- O quê? Não acredito no que estou ouvindo! - gritou o Lula. $&@$&$&!

Censurei o final da frase para não criar celeumas. Cada um imagine o que quiser. 
Não quero me atrever mais do que escrevi, afinal entre conversa de dois amigos do peito, peru de fora não deve meter o bico. Mas que esta amizade dá o que falar, dá! Ou é por mero espírito de cristandade? ... 

“Como a ideologia une os desiguais. E quanto a Deus? Ora, Deus que fique de fora; interesses maiores tem prioridade acima de tudo. O que vale são os meios, não os princípios, para se atingir o fim pretendido!” 
Edson Vidal Pinto

Apoio